crossorigin="anonymous">
 
Anuncie Aqui 2.png
  • Thiego Souza

Ações de combate ao mosquito Aedes aegypti serão intensificadas em Serrinha

Aproximação do verão faz com que sejam intensificadas as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chicungunha.



O verão está chegando, e junto com ele algumas preocupações relacionadas aos cuidados e prevenções contra a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Com a aproximação da nova estação, a Vigilância Epidemiológica e de Endemias de Serrinha está se planejando para intensificar as ações de combate pois nessa época surgem vários casos de dengue, zika e chicungunha.


Em entrevista exclusiva ao Info Serrinha, Railton Bacelar, que é coordenador de Endemias, afirmou que já é feito um combate preventivo, e que com a aproximação do verão as ações estão sendo intensificadas.


"Realizamos aqui as ações preventivas como o combate direto ao vetor na sua forma lavária porque precisamos eliminar o mosquito antes que ele complete o ciclo biológico. Está chegando o verão e aumenta nossa preocupação quanto a essa época do ano porque aumenta a "população" de mosquitos, então a gente trabalha em cima de ações preventivas, que serão intensificadas ainda mais".



Railton comentou quais são as ações realizadas. "Tem o controle vetorial, as ações educativas e tem as pulverizações caso seja necessário com o carro fumacê ou o 'costal', que é o fumacê portátil. O fumacê portável é para bloqueio, é para evitar que a doença se propague para outros bairros, mas se for surto, a gente solicita para o estado o carro fumacê, e ele consegue reduzir a quantidade de mosquitos adultos, que é o que transmite a doença".



De acordo com Railton, a população precisa fazer sua parte e eliminar possíveis focos do mosquito. "Quando a gente recebe uma denúncia de que há um área que sabemos que tem foco de mosquito a gente notifica o proprietário porque o combate ao mosquito não pode ser de responsabilidade apenas do Governo, o morador é o agente de saúde da sua residência. O papel do agente de endemias é ir na casa, mostrar, orientar e fazer o primeiro tratamento, a partir daquele momento o morador precisa tirar pelo menos 10 minutos, uma vez por semana, para fazer uma inspeção em seu domicílio e verificar se há focos ou depósitos expostos que podem se tornar criadouro do mosquito".


Em Serrinha, o trabalho de combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti conta com apoio técnico e parceria do Governo do Estado através da Base Regional de Saúde, que é a antiga DIRES.

Anuncie Aqui 2.png