crossorigin="anonymous">
 
Anuncie Aqui 2.png
  • Thiego Souza

“Município conseguirá encerrar com o lixão”, diz secretário de Meio Ambiente

Projeto de Lei que institui cobrança de taxa de coleta de resíduos sólidos era votado na próxima sessão.

A polêmica em torno do Projeto de Lei que institui em Serrinha à população taxa de coleta de lixo vai sendo explicada. Em entrevista ao Info Serrinha o secretário de Meio Ambiente, Diego Tomaz, comentou sobre a necessidade da Prefeitura em ter que aplicar a cobrança e afirmou que com a coleta todo material será destinado a um centro de tratamento, encerrando assim o lixão.


“O manejo dos resíduos sólidos (lixo) é considerado um serviço de saneamento igualmente ao serviço de abastecimento de água e esgotamento sanitário e drenagem das águas pluviais. O marco regulatório do saneamento, lei federal 14.026/2020, obriga o município a instituir a taxa de coleta desses serviços para que possa atingir a sustentabilidade financeira desse serviço”.


De acordo com o secretário, Serrinha poderá realizar o processo de coleta seletiva e investir em uma melhor destinação para os resíduos sólidos. “Este gerenciamento dos resíduos sólidos compreende na coleta, transporte, tratamento e destinação final ambientalmente adequada do lixo. A partir de 2022, Serrinha irá enviar seus resíduos para um Centro de Tratamento, tecnologia adequada para a valorização dos resíduos, que consiste na triagem do material reciclável, resíduo orgânico e aterro do rejeito. Assim, com a destinação adequada dos resíduos, o município irá aumentar suas despesas, e a lei federal obriga que seja realizada essa cobrança, como já é feita a da água e esgoto pela Embasa”.


Segundo Diego Tomaz, Serrinha poderá dar fim às atividades do lixão. “O município conseguirá dessa forma encerrar com o lixão, que hoje caus sim impacto ambiental muito grande, poderá investir na coleta seletiva, apoiando as Associações de catadores de materiais recicláveis, principalmente os que vivem da renda da coleta do material no lixão”.


Para realizar o trabalho de recepção dos materiais coletados, uma empresa será contratada. “A Ouro Verde continuará realizando a coleta e o transporte, e outra empresa será contratada para recepcionar esses resíduos, realizar a triagem dos recicláveis e orgânicos, e aterrar os rejeitos”.


Um dos objetivos da Prefeitura é iniciar um programa nas escolas voltado para a a conscientização. “Vamos abrir licitação em janeiro, realmente queremos fazer a diferença na questão dos resíduos. Fevereiro inicia também o programa de educação ambiental nas escolas voltadas a coleta seletiva na rede municipal”.

Anuncie Aqui 2.png